Alma Gêmea

E Deus os abençoou e disse: Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei e subjugai a terra.” Gênesis 1,2

Desde os primórdios da criação existe a necessidade de encontrar alguém que venha preencher algo que a natureza nos deixou faltando.

Na metáfora de Adão e Eva está explicita a representatividade de duas formas diferentes na essência. Essas formas se buscam, se procuram, sabem inconscientemente  da existência do outro e tem a intuição que é no complemento dessa outra forma que está a chance de acelerar a sua evolução, enquanto criatura.

O espírito humano tem a obrigação de evoluir em todos os sentidos, sejam eles na inteligência, na afetividade, nos sentimentos ou nas ciências de forma geral.

No campo cientifico entendemos que as academias proporcionam a oportunidade dessa evolução necessária. Nos campos mental e afetivo é necessário que esse ser se relacione com outros seres afim de trocar experiências. Por si só, não existe a possibilidade dessa evolução

Sabendo disso as pessoas tem necessidade de se relacionar.

Esses relacionamentos acontecem em todos os níveis da vida humana, em qualquer instancia que pudéssemos citar nessa nossa narrativa estaríamos falando de relacionamento.

Desde ao acordarmos de manhã até desligarmos as luzes para dormir a noite, de uma forma ou de outra estamos nos relacionando.

Nos relacionamos profissionalmente, em família, nas escolas, nos círculos sociais, no âmbito afetivo e nas situações mais comezinhas do dia-a-dia.

São esses relacionamentos e a forma como interagimos com os mesmos, grandes ou pequenos, profundos ou superficiais, agradáveis ou desagradáveis, prazerosos ou não que nos levam a criar o que chamamos de experiência de vida.

Ninguém consegue viver sem se relacionar.

Se fossemos colocados a viver como ermitãos com certeza criaríamos seres imaginários para que pudéssemos conversar a respeito de algo.

Partindo desse raciocínio poderíamos abordar o assunto relacionamento de forma infinita pois é algo interminável, porém estaremos focados na grande busca humana que é o relacionamento homem/mulher.

Existe a tal alma gêmea?

Essa busca cíclica e infinita é que nos dá razão de viver. Estamos sempre a procura daquele alguém que nos falta

E quando encontramos alguém que nos completa, isso tem um tempo determinado de vida. Porque?

O que acontece que essa completude acaba por deixar algo a desejar depois de um tempo e nos faz sair em busca de novos relacionamentos?

Nos relacionamentos afetivos, como em qualquer outro tipo de relacionamento, estamos aprendendo algo, desenvolvendo nosso espirito, nossa inteligência e nossos sentimentos.

Quando a pessoa ou grupo que nos relacionamos já não tem mais  a acrescentar em nossa evolução, é momento de partirmos para novos aprendizados.

Ou fazemos isso por opinião própria ou a natureza se encarrega de colocar novas pessoas em nosso caminho.

Na verdade sofremos pelo apego ao que já temos e por não querermos sair de nossa zona de conforto, esquecendo que não estamos aqui por passeio e sim como forma de evolução.

Então, ou nossa “alma gêmea” evolui conosco e nós com ela, ou então teremos ao longo da vida diversas oportunidades de crescer através de relacionamentos afetivos com pessoas diferentes.

Vagner Crepaldi

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s